sábado, 10 de março de 2018

Resumo da novela Os Dez Mandamentos de 12 a 16 de março de 2018

Capitulo 165, segunda-feira, 12 de março – Nervoso, Ramsés diz a Nefertari que não irá ceder. Ana e Oseias se encontram e se abraçam aliviados, mas Ana segue preocupada com Judite. Chuva de granizo começa a atingir fortemente o solo egípcio. De repente meteoros começam a cair do céu e focos de incêndio se espalham, inclusive no palácio. As casas dos egípcios começam a ser atingidas por bolas de fogo e o desespero se espalha. Ramsés decide ir até o terraço do palácio para saber o que está acontecendo. Nefertari tanta ir atrás dele, mas é impedida pelo faraó. Yunet anda apavorada pelas ruas a procura de um abrigo. Ramsés observa a cidade ser destruída e fica apavorado. Uma pedra cai sobre a perna de Yunet e a deixa ferida. Desesperada sob a chuva de granizo, Yunet grita por socorro, mas não é amparada por ninguém. Sem saber o que fazer, Ramsés fica transtornado com a destruição da cidade. Nefertari tenta acalmar o filho Amenhotep. Pedras em chamas caem do céu e camponeses egípcios são atingidos. Em meio à chuva de fogo, Apuki e Jairo correm tentando salvar suas vidas. Ramsés ordena que tragam Moisés e Arão ao palácio. Corá conta para Bina que viu Yunet andando maltrapilha pela cidade. O general Bakenmut ordena que Asheru acompanhe Ikeni na busca por Moisés e Arão. Uri se mostra descrente em Deus. Antes de deixar o palácio, Ikeni se despede de Karoma e Peppy. Aoliabe proíbe Bak de sair de casa para visitar os irmãos durante a tempestade. Ikeni e Asheru deixam o palácio em busca do libertador e seu irmão. Apuki e Judite se preocupam ao notarem que Ana não está em casa. Oseias, Zelofeade, Leila e outros escravos percebem que o mau tempo não atingiu o céu sobre a Vila dos hebreus. Ikeni, Asheru e outro oficial correm para não serem atingidos. Todos na casa de Arão ficam aliviados e emocionados por Joquebede e Eleazar não terem sido executados. Ikeni lidera os oficias e eles seguem na missão. Miriã agradece a Deus e pede proteção para os irmãos. Os oficiais egípcios finalmente avistam Moisés e Arão no alto do monte. Ramsés encontra com a esposa e o filho e avisa que mandou chamar Moisés e Arão. Ikeni avisa a Moisés que Joquebede não foi executada. Aliviado, o profeta aceita acompanhar os soldados até o palácio. Eldade se espanta com tanta destruição. Casas são arruinadas enquanto egípcios correm para salvar suas vidas. O fogo atinge a fachada da Casa de Senet. Moisés, Arão e os oficiais caminham de volta ao palácio. Ikeni fica surpreso ao notar que nada atinge os hebreus.


No capitulo 166, terça-feira, 13 de março – Moisés e Arão descem do monte e retornam à vila dos hebreus. Corá discute com os filhos e diz para que eles não acreditem nas palavras de Joquebede e Moisés. Bezalel e Leila se mostram preocupados com Uri e os outros amigos do palácio. Ana e Oseias continuam procurando por Judite e se abraçam apaixonados. Ikeni descobre que Yunet saiu da cela e se preocupa com a reação que o faraó terá quando descobrir a fuga. Ikeni avisa Ramsés que Yunet saiu e Paser diz que viu o corpo da vilã na cidade. Ramsés ordena que os corpos dos egípcios nobres sejam embalsamados e os demais enterrados no deserto. Datã teme pela retaliação de Ramsés com o povo hebreu. Ana conta a Apuki que a vila dos hebreus não foi atingida pela tempestade e o deixa surpreso. Meketre diz a Tais que a cidade está um caos e diz acreditar que talvez o Egito não consiga se recuperar. Preocupado com a filha, Paser conta para a princesa sobre a morte de Yunet. A princesa se revolta dizendo que Moisés salvou a vida de Joquebede e levou a de sua mãe por vingança. Bakenmut diz a Ikeni que Ramsés prometeu a Moisés que libertaria os escravos caso a tempestade terminasse. O faraó organiza uma incursão à cidade para avaliar os estragos e é acompanho pelos generais. Os hebreus temem por uma retaliação dos egípcios. Nadabe, Abiu e Itamar retornar da cidade e dizem aos demais hebreus que o estrago foi muito grande. Moisés e Arão retornam para casa para alívio de toda a família. Moisés a Arão contam para os hebreus que o faraó decidiu libertá-los deixando todos radiantes. Ramsés e Nefertari conversam e ele diz que não suportaria perder a mulher e o filho. Simut diz a Paser que não quer mais ser sacerdote uma vez que os deuses egípcios não fizeram nada para protegê-los. Miriã compõe uma música em hebraico e surpreende Oseias. Moisés diz para Joquebede que pretende buscar sua família em Midiã. Joquebede diz que sente muito orgulho de Moisés e Arão e deixa o libertador emocionado.

Capitulo 167, quarta-feira, 14 de março – Joquebede se emociona com as palavras de Moisés. Uri recorda dos momentos com Leila e Hur. O joalheiro se recusa a acompanhar Gahiji até a Vila dos Hebreus. Bak tenta visitar os outros filhos de Meketre, mas o comerciante destrata o menino. Sem alternativa, o egípcio é obrigado a mentir para Tais. Radina confessa para Karoma que fica mexida toda vez que Moisés está por perto. Ikeni questiona Bakenmut sobre a fuga de Yunet, mas o general desconversa. Gahiji e Chibale chegam à casa de Zelofeade. Leila, Hur e Bezalel ficam felizes com a chegada dos egípcios. Nefertari pede para Ramsés introduzir Amenhotep sobre as questões relacionadas ao reino. Leila diz estar decepcionada com a atitude de Uri. Os hebreus se reúnem na casa de Joquebede. Safira se irrita ao ver Datã provocando Bina. Arão agradece a presença de todos. Moisés anuncia que o rei prometeu libertar os escravos. Todos se emocionam com a notícia. Ana e Judite tentam amolecer o coração de Apuki. Moisés manda os hebreus se prepararem para deixarem o Egito. Datã diz para Safira que desta vez acredita no libertador. Arão se anima com o futuro de seu povo. Ramsés perde a paciência e se irrita com Amenhotep. Ikeni chega e avisa que Meketre deseja falar com o faraó. Nefertari tenta reanimar as mulheres no harém do palácio. Ramsés avisa a Meketre sobre sua decisão de deixar os escravos partirem. Jairo e Apuki se assustam ao ouvirem Bakenmut dizer que os hebreus serão libertados. Joquebede e Miriã conversam enquanto arrumam as coisas para partirem. Calebe alerta Oseias sobre o ódio de Apuki. O feitor se espanta ao ver a fachada da Casa de Senet destruída. Desolado, Ahmós lamenta a destruição do prostíbulo. Gahiji diz que Uri precisa se despedir da família. O cozinheiro também afirma que está pensando em partir com os hebreus. Bezalel diz acreditar que Uri mudará de ideia. Zelofeade e Abigail fazem planos para o futuro com o bebê. Simut demonstra descrença nos deuses egípcios. Arão questiona Moisés sobre a possível mudança de ideia do faraó. O libertador avisa que outra praga virá, caso o rei se recuse a libertar os escravos. Em conversa com Paser, Nefertari diz que não concorda com a atitude do marido em deixar os hebreus partirem. O sacerdote tenta convencer a filha a aceitar, mas a rainha avisa que sempre protegerá o Egito.

Capitulo 168, quinta-feira, 15 de março – Paser discute com Nefertari e diz para ela não agir como a mãe Yunet, deixando-a nervosa. O sumo-sacerdote diz que sabe que a real intenção da filha em instigar Ramsés a não libertar os hebreus é atingir Moisés. Meketre diz a Tais que irá precisar pagar um servo egípcio para consertar a sala destruída pelos meteoros e se dá conta do efeito da libertação dos escravos, já que não haverá quem reconstrua o reino. Ramsés pede aos deuses ajuda para tomar a melhor decisão. Bak diz a Aoliabe que gostaria de se despedir e contar a verdade para Meryt e Hori, mas é desencorajado pelo amigo. Ana fala para Judite que elas também devem partir com os hebreus. Simut diz a Paser que já não acredita mais nos deuses egípcios e deixa Paser confuso. Nefertari tenta convencer Ramsés a voltar atrás de sua decisão de libertar os escravos. Ahmós, Apuki e Jairo se reúnem com Meketre para saber quem irá trabalhar no lugar dos escravos e dizem que irão se encontrar com os comerciantes para discutir a situação. Nadabe pede a Moisés que o ensine algumas táticas de guerra. Joquebede, Miriã, Eliseba e Inês começam a fazer os preparativos para a partida. Hur diz para Moisés que a tradição diz que os restos mortais de José do Egito devem ser levados com eles para Canaã. Oseias incentiva Bezalel e Deborah a apressar o casamento. Comerciantes e feitores vão até o palácio e pedem para falar com o faraó. Gahiji diz a Chibale que gostaria de acreditar somente no Deus dos hebreus. Ramsés diz aos comerciantes que uma das soluções para resolver o problema da escravidão é conquistar novos territórios e escravizar a população. Radina diz a Karoma que irá entregar a joia que ganhou da princesa Henutmire para Moisés presentear Zípora, já que as duas não tiveram a oportunidade de se conhecer. Nefertari tenta acalmar Ramsés que está confuso com a sua decisão de libertar os escravos e a rainha o aconselha a entrar em um acordo com Moisés. Dessa forma, os hebreus só poderiam deixar o Egito se reconstruírem tudo o que foi destruído pela praga. O faraó se anima com a ideia da esposa real. Deus fala novamente com Moisés e pede para que ele procure o faraó, deixando-o tenso. Bakenmut e Ikeni vão até a vila chamar Moisés. O libertador e Arão vão até o palácio encontrar com o faraó. A pedido de Moisés, Oseias e Calebe reúnem os hebreus para dizer que não poderão deixar o Egito naquele momento. Ramsés conversa com Moisés e diz que acha justo que, antes de partirem, os hebreus reconstruam a cidade. Moisés diz que não haverá acordo e o faraó se irrita dizendo que nesse caso, não irá libertar os hebreus. O libertador então anuncia que uma grande nuvem de gafanhotos tomará conta de todo o reino e comerão todas as árvores que crescem no campo. Ikeni vai atrás de Moisés e diz que tentará conversar com o faraó e convencê-lo, junto a Paser, a desistir da ideia de manter os hebreus no Egito. Gahiji e Chibale encontram com Moisés no corredor do palácio e perguntam ao libertador se seriam aceitos pelo Deus dos hebreus. Surpreso, Moisés diz que se abandonarem o culto a outros deuses e seguirem os ensinamentos do Senhor, serão aceitos. Paser reencontra Moisés e pede para retornar à sala do trono.

Capitulo 169, sexta-feira, 16 de março – Ramsés propõe que apenas os homens sigam para prestar culto no deserto. Moisés não concorda com a ideia e Arão diz que essa não é a vontade de Deus. Furioso, o faraó expulsa os irmãos do palácio e avisa que não tem acordo. Deus pede que Moisés dê início a nova praga. O libertador estende o cajado sobre a parte egípcia e um forte vento começa a assoprar. Chibale conta para Gahiji que algo estranho começou a acontecer na cidade. Pepy se assusta com a ventania e é protegido por Karoma. Ramsés sente a força do vento e teme o que está por vir. Nefertari ordena que Gahiji proteja todos os alimentos que tiverem na cozinha contra os gafanhotos. Em reunião com os homens da vila, Moisés e Arão contam que apesar da resistência de Ramsés, todos devem manter a fé. Leila teme que Uri sofra com a nova praga e é consolada por Deborah. Moisés confessa para Arão que a descrença de Corá, Datã e Abirão o irrita mais que a teimosia de Ramsés. A sós no santuário, o rei ora para que os deuses protejam os campos do Egito. Moisés pede que Deus lhe dê forças para encarar as consequências que virão com a nova praga. De repente uma nuvem de gafanhotos invade a ala egípcia e os insetos começam a devorar tudo. Ramsés vai até a varanda saber o que acontece e fica assustado com o que vê. Os insetos invadem o palácio e Ramsés tenta proteger Nefertari e Amenhotep com o próprio corpo. Pânico toma conta dos egípcios. Ramsés implora aos deuses que os gafanhotos deixem o Egito. Ramsés resolve ir até a vila dos hebreus e deixa todos tensos com a visita. O faraó se dá conta que os gafanhotos não atacaram os hebreus. O faraó pede então que encontrem Moisés. Ikeni bate na porta de Moisés e surpreende quando diz que o rei está do lado de fora. Ramsés diz a Moisés que dessa vez ele foi longe demais e todos ficam tensos.

Seja o primeiro a comentar ;)

Postar um comentário

  ©Noticias da tv brasileira - Todos os direitos reservados.

Template by Dicas Blogger | Topo